Preparando a próxima geração de especialistas em rolamentos

Perícia

Preparando a próxima geração de especialistas em rolamentos

Mike Kotzalas, diretor de engenharia global para clientes, é PhD em Engenharia Mecânica e ganhou renome logo no início da carreira ao publicar em periódicos revisados por pares, participar de conferências do setor e ganhar prêmios. Quando tinha 34 anos, Kotzalas detinha duas patentes americanas de projetos de rolamentos de rolos cilíndricos e, juntamente com seu mentor de longa data, Tedric A. Harris, foi coautor da 5ª edição em dois volumes do livro Roller Bearing Analysis, uma obra de referência que os engenheiros de rolamentos usam há décadas.

Mike Kotzalas, diretor de engenharia global para clientes, é PhD em Engenharia Mecânica e coautor da 5ª edição do livro Roller Bearing Analysis, uma obra de referência que engenheiros de rolamentos usam há décadas.



Hoje, Kotzalas permanece um dos principais nomes do setor, participando de conselhos consultivos da ISO (Organização Internacional de Normalização) e da ABMA (Associação de Fabricantes de Rolamentos dos EUA) para o desenvolvimento de normas para rolamentos de rolos. Ele é creditado em 29 publicações, ministra treinamentos ocasionais da ABMA e faz parte do conselho consultivo de engenharia mecânica da Universidade de Akron.

Em entrevista recente, conversamos com Kotzalas sobre suas realizações, os desafios e o que ele mais gosta em seu trabalho.

 

P: Como surgiu a oportunidade de ser coautor do livro Roller Bearing Analysis?

R: A ideia surgiu do meu orientador na Penn State, Tedric A. Harris. Harris era um veterano aposentado do setor, famoso por escrever o livro de referência Roller Bearing Analysis. Ter um bom mentor realmente ajuda. Comecei a frequentar conferências, apresentar artigos e fazer coisas que normalmente não se faz no início da carreira, não até obter um PhD.

Eu já trabalhava na Timken há alguns anos quando ele me pediu para ajudá-lo com a 5ª edição do livro Roller Bearing Analysis. Nos organizamos e trabalhamos juntos para atualizar o material de acordo com o que estava acontecendo no setor. Dividimos o livro em dois volumes menores — um sobre conceitos básicos e outro sobre conceitos avançados. Ele foi publicado em 2006.



P: Como os engenheiros da Timken expandiram esses conhecimentos sobre rolamentos nos últimos 14 anos?

R: O livro aborda os fundamentos de rolamentos, mas não entra no conhecimento aplicado que é o nosso foco na Timken. Com o passar dos anos, nossas ferramentas de modelagem preditiva Syber ficaram cada vez melhores, o que ajudou a prever o desempenho de rolamentos com cada vez mais precisão.

Nosso conjunto de ferramentas de testes e dados é incomparável, mas ainda estamos trabalhando para entender o que está acontecendo no nível da estrutura molecular do aço. O trabalho que os engenheiros da Timken estão desenvolvendo com dispersão de nêutrons é algo realmente empolgante. Isso está nos ajudando a entender e a ajustar os fatores de tensão nas partes mais internas de um rolamento.

Também trabalhamos no laboratório de reologia para estudar as estruturas físicas e químicas no nível mais básico, para que seja possível começar a prever com precisão o atrito em sistemas de trem de força, em vez de usar fórmulas empíricas para gerar estimativas.



P: De qual parte do seu trabalho você mais gosta?

R: Interagir com clientes, resolver os problemas deles e também treinar novos funcionários — integrando-os para ajudá-los a compreender o que fazemos e como realizamos negócios. Ensiná-los tudo o que sei sobre rolamentos para que se tornem engenheiros de alto nível.

Sempre que vejo um cliente recebendo explicações de um engenheiro que eu treinei, ouvindo sobre um novo conceito e começando a compreendê-lo, sinto que esse é o objetivo, ou seja, a junção perfeita dos dois lados.

 

P: Qual é a sua função mais importante como líder de equipe?

R: Ser um influenciador. Acertar ao definir a cultura e alinhar todos os envolvidos para irmos na mesma direção. De certa forma, é como um trabalho interno de vendas — tenho que convencer todos de que é necessário mudar, definir uma direção estratégica e depois convencê-los a seguir em frente — para ver os benefícios que eles mesmos colherão.

É também incentivá-los a apresentar ideias novas e melhores para que possamos aprender uns com os outros e fazer ajustes à medida que avançamos.



P: Qual é o seu conselho sobre como liderar equipes inovadoras?

R: As pessoas podem ser orientadas, mas se você quiser que elas aprendam e desenvolvam novas habilidades, elas mesmas terão que trabalhar duro. Sempre tento assegurar que estou proporcionando a elas oportunidades de descobrirem as respostas por conta própria.

Também insisto para que as pessoas documentem o que aprenderam. Todos nós aprendemos algo novo diariamente, portanto, vamos atualizar e compartilhar continuamente o nosso pensamento global e trabalhar sempre juntos enquanto aprendemos.

Por fim, quando oriento alguém para resolver um problema, indico outras pessoas na empresa que já resolveram questões semelhantes. Dessa forma, os novos funcionários começam a criar sua própria rede de conexões — pessoas com quem podem trocar ideias e colaborar.

O trabalho em equipe faz parte dos valores essenciais da Timken e enfatizamos muito a importância da colaboração em toda a organização. Queremos ter certeza de que todos se sintam à vontade e seguros para pedir ajuda informalmente. De imediato, os novos funcionários contam com uma plataforma projetada para lhes ajudar a desenvolver a rede e os conhecimentos deles.

 

P: O que lhe mantém na Timken após 22 anos?

R: Duas coisas. A primeira é que continuo a ser desafiado. A Timken é muito boa em manter o crescimento e o engajamento das pessoas. E o segundo fator são as pessoas. O pessoal da Timken é muito divertido e amigável.

Sempre surge uma conversa após alguém fazer uma pergunta e isso é muito útil. As pessoas estão mais do que dispostas a lhe ensinar e orientar, portanto, você nunca se sente sozinho. Conforme formamos esses relacionamentos pessoais, nos sentimos ainda mais motivados a vir trabalhar.

Leia mais sobre as pesquisas que os engenheiros da Timken estão fazendo para compreender melhor o que acontece no interior de um rolamento.